sábado, 24 de dezembro de 2011

Nessa de querer

Eu sou dos verdes tons
E quero os vermelhos vibrantes
Rosas cintilantes
Marrons

Quero o dourado
O prata prateado
O cobre da charlatã
(Romã)

Também quero ser flor
Quero ser vela
Talvez uma boa novela
Um drama sem autor

Dizem eu ser um paradigma
Aqui comigo, estou mais para um enigma
Assim como o amor está para a dor.

2 comentários:

Lucas B. Bernardi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucas B. Bernardi disse...

Se não formos um enigma, então nada passa de mistério! Encantador poetisa, suas palavras me inspiram a sentir esse perfume chamado, amor!