sábado, 24 de dezembro de 2011

Nessa de querer

Eu sou dos verdes tons
E quero os vermelhos vibrantes
Rosas cintilantes
Marrons

Quero o dourado
O prata prateado
O cobre da charlatã
(Romã)

Também quero ser flor
Quero ser vela
Talvez uma boa novela
Um drama sem autor

Dizem eu ser um paradigma
Aqui comigo, estou mais para um enigma
Assim como o amor está para a dor.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

*-*

(Escrito por Lucas B. Bernardi, de O Escritor de Sonhos)

Flor poeta!

Você é...

Flor de um jardim invagável ao meu conhecimento, 
a flor que toda mulher deve carregar junto a cabeça. 
Flor que enfeita, encanta,
brota sentimento e cheira beleza.

Flor miúda, singela
que nega grandeza. 
Flor de muro,
de mesa, flor que sente,
"uma flor gente" flor decente 
jacente a cabeça, um enfeite!

Flor que é lírio, jasmim...
copo de leite.


(Muito obrigada *-*)

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Poet in English again

I see gray rainbows
I walk in a boring way
Everyday it's just the same
I can't stand another day
Another day without you
You don't know how I need you
How I miss you...

Love, I miss you so
Why do you have to go?

domingo, 4 de dezembro de 2011

Tempo de flores

Como se sente a menina com a flor no cabelo?
A menina que passou sem ninguém ver?
É um sei-lá-o-quê que dá aqui dentro
Um desespero, uma paz de repente
Ninguém notou a flor no meu cabelo
E ainda reclamam de gente que esconde o que sente.