domingo, 23 de outubro de 2011

Sobre ser poeta de palavras vazias

Os poetas querem ser lidos: os velhos, os amantes, os recém-nascidos. Querem o sal da lágrima e o doce do beijo, querem tudo o que não têm. Idealizam o idealizável e acabam morrendo de realidade crua, ou apenas de dor nas juntas. Eles escrevem sobre a beleza da solidão e sobre como é ruim estar sozinho; rimam com o amor incondicional, sem colocar os pingos nos Is. Assinam lembretes e confirmam a autoria, só que se esquecem de lembrar. Mas nunca subestime os sentimentos de um poeta: ele é intenso por dentro.

Um comentário:

Vanessa Carvalho disse...

Lindo.

Adorei esse lugar.
Pretendo me perder (e me encontrar)
mais vezes por aqui.

Flores.