terça-feira, 19 de julho de 2011

sf 2. Desejo imoderado de atrair admiração

Engraçado, o que os olhos são. Espelhos da alma, há quem diga, pois eu digo que são janelas iguais as que se abrem para um dia de sol; ou precipícios, eternos, dos quais ninguém há de querer sair, tão profunda é a magnificência. 
Há também os que dizem: os olhos, carregados dos olhares de uma alma inquieta, são pura perdição. Sim, perdição. São os olhos que vêem e os olhos que interpretam, muitas vezes os intérpretes fazendo mal o seu trabalho, ou revertendo-o para seus próprios interesses. Vaidade, somente. Vaidade de mulher que os realça para chamar a atenção alheia.

Um comentário:

Kenia Cris disse...

Se pode ver, olha. <3