domingo, 3 de julho de 2011

Do tímido

Palavras soam frias
Versos rimam em vão
Mãos me tocam quentes
Movimentos sem precedentes
Beijam o vento, amam o chão

Dos amantes do concreto
Cultuam poucos o discreto
Sou eu, porém, discrição

Insistem 'eu sou', 'eu fiz'
Sejam o que quiserem
Fiquem com seu amar 
Que eu fico com meu querer ser feliz
 

Sorrio do meu jeito
E respiro pausadamente
Não devo nada a ninguém.

Nenhum comentário: