domingo, 31 de julho de 2011

De promessas não-cumpridas

Se há o que fazer com os sentimentos
é deixá-los de lado e esquecer
dói sentir, dói amar, dói viver.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Obs. 16:

Como é despedir-se de algo que você mal viu passar pela sua vida?

terça-feira, 19 de julho de 2011

sf 2. Desejo imoderado de atrair admiração

Engraçado, o que os olhos são. Espelhos da alma, há quem diga, pois eu digo que são janelas iguais as que se abrem para um dia de sol; ou precipícios, eternos, dos quais ninguém há de querer sair, tão profunda é a magnificência. 
Há também os que dizem: os olhos, carregados dos olhares de uma alma inquieta, são pura perdição. Sim, perdição. São os olhos que vêem e os olhos que interpretam, muitas vezes os intérpretes fazendo mal o seu trabalho, ou revertendo-o para seus próprios interesses. Vaidade, somente. Vaidade de mulher que os realça para chamar a atenção alheia.

sábado, 16 de julho de 2011

Somos eu e o eu que sonha

Você me vê assim, tão pálida e eu te vejo sempre, tão distante e perfeito. É costume meu atribuir perfeição àquilo que não me pertence e criar histórias bonitas, febris. Sou sonhadora quando, na verdade, nem me lembro de sonhar ao dormir; quando a noite mal ou bem dormida mais parece um desmaio. Sou dada a devaneios, mas estes descolorem a si próprios ao serem devaneados. Me perdoem a repetição, me perdoem as rimas gastas e a melancolia no meu escrever. É o que a rotina faz e o que o sorriso alheio me causa: sonhos de um sorriso meu.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Poet in English

In every single drop 
your face remains 
be mine, rain again

That's what happens
when you rain in my heart
let me see your smile
please, don't stop

I adore you too much
- a kind of irreversible thing
right here what you've done to me
without you I can't be free

That's exactly what happens
when it's sunny in my mind
I hate hot sunny days
when it's cloudy I feel fine.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Obs. 15:

Como se sentiria se alguma coisa pela qual você sempre esperou viesse a acontecer, mesmo que em você haja certa desesperança de que isto aconteça?

domingo, 10 de julho de 2011

Significado prático para a nova geração

Amar é verbo intransitivo
assim como sorrir, 
sonhar, morrer e fugir;
não pede complemento, 
não exige compreensão
é algo nato, insensato
sem cálculo, sem divisão.

Tantra

UM. 
Dê mais às pessoas do que elas esperam, e faça-o com alegria.
DOIS. 
Case com alguém com quem você goste de conversar.
À medida em que vocês forem envelhecendo, seu talento para a conversa se tornará tão importante quanto os demais.
TRÊS. 
 
      *Não acredite em tudo o que ouve; 
      *Não gaste tudo o que tem; 
      *Não durma tanto quanto gostaria.
QUATRO. 
Quando disser "eu te amo", seja sincero.
CINCO. 
Quando disser "sinto muito", olhe nos olhos da pessoa.
SEIS. 
Fique noivo pelo menos durante seis meses antes do casamento.
SETE. 
Acredite em amor à primeira vista.
OITO. 
Nunca ria dos sonhos dos outros.
Quem não tem sonhos tem muito pouco.
NOVE. 
Ame profundamente e com paixão.
Você pode se ferir, mas é o único meio de viver uma vida completa.
DEZ. 
Quando se desentender, lute limpo. 

Por favor, nada de insultos.
ONZE. 
Não julgue ninguém pelos seus parentes.
DOZE. 
Fale devagar mas pense depressa.
TREZE. 
Quando lhe fizerem uma pergunta a que não quer responder, sorria e pergunte: "Por que deseja saber?"
QUATORZE. 
Lembre-se que grandes amores e grandes realizações envolvem grandes riscos.
QUINZE.  

Diga "saúde" quando alguém espirrar.
DEZESSEIS.  

Quando você perder, não perca a lição.
DEZESSETE.  

Recorde-se dos três "R":   
      * Respeito por si mesmo, 
     
* Respeito pelos outros, 
     
* Responsabilidade pelos seus atos.
DEZOITO. 
Não deixe uma pequena disputa afetar uma grande amizade.
DEZENOVE. 
Quando notar que cometeu um engano, tome providências imediatas para corrigí-lo.
VINTE. 
Sorria quando atender o telefone.
Quem chama vai percebê-lo na sua voz.   

VINTE E UM: passe algum tempo sozinho e reflita.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Obs. 14:

Tenho medo das coisas sobre as quais não sei falar, mas tenho mais medo daquilo que não sei sentir. Se ao menos sinto, ora, isso não sei como se descreve.

domingo, 3 de julho de 2011

Do tímido

Palavras soam frias
Versos rimam em vão
Mãos me tocam quentes
Movimentos sem precedentes
Beijam o vento, amam o chão

Dos amantes do concreto
Cultuam poucos o discreto
Sou eu, porém, discrição

Insistem 'eu sou', 'eu fiz'
Sejam o que quiserem
Fiquem com seu amar 
Que eu fico com meu querer ser feliz
 

Sorrio do meu jeito
E respiro pausadamente
Não devo nada a ninguém.