sábado, 25 de junho de 2011

Sweet funny melody

(Thiago Pethit)
 
You said that it's too late
It's not the perfect time
You told me "You are great,
why can't you be just mine?"
Baby…

You can break my heart in one or two
or more than a thousand pieces
You can bring me down
You can take me high and fly and fly
Oh boy, we still have
One last dance to dance
Let's take it as a bet
Let's give us one last chance

Cause you and I
We are meant to be
Whatever the future might
Choose for us to see
Again…

You can break my heart in one or two
or in a zillion pieces
You can bring me down
You can take me high
Oh boy, we still have
One last dance
Let's take it
Let's give us one last chance

I'm not as nice
As you thought I were
I'm only fine
I'm only what you heard
There we go…

Even though
You like me so
You told me no,
just no, no
Once more…

You can break my heart in one or two
or in a zillion pieces
You can bring me down
You can take me high
Oh boy, we still have
One last dance
Let's take it
Let's give us one last chance

I guess this song
Is sung off-key
That's how I see
this sweet funny melody
The end

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Do ser humano

O homem bom nem sempre é belo
O homem belo nem sempre é bom
A doce fruta mascara o veneno
Destroi o espírito, o faz pequeno
Para ao corpo saciar;
Eis que de santo poucos têm
Pecamos todos, amém
Até a morte nos subjugar.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Desencontro

Ela hesitou
Ele escreveu
Ela se virou
Ele mal percebeu

Era dia
Meio-dia
Sol a pino
E um cara franzino
Pela rua a andar

Era dia,
Meia-noite

Entre lençois e travesseiro
Usando flores no cabelo
Estava a menina a descansar
Rasgada uma carta
De final "venha me amar"

Começou de olhares assustados
E para amor platônico evoluiu
Se quer saber quem amou primeiro
Quem será que do outro o coração partiu?

sábado, 11 de junho de 2011

Não danço

Deixa eu pisar teus passos
Saltando-os com delicadeza
Dançando como aprendiz de bailarina
Enquanto guias a menina indefesa

Quero seguir teu caminho mais belo
O de flores, de espinhos ou do que for
Mas saiba que sou de queda fácil
Se de par eu não virar o teu amor

Quero amor.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Eu era um lobisomem juvenil

(Legião Urbana)

Luz e sentido e palavra, palavra
É que o coração não pensa
Ontem faltou água
Anteontem faltou luz
Teve torcida gritando
Quando a luz voltou
Não falo como você fala
Mas vejo bem
O que você me diz

Se o mundo é mesmo
Parecido com o que vejo
Prefiro acreditar
No mundo do meu jeito
E você estava
Esperando voar
Mas como chegar
Até as nuvens
Com os pés no chão

O que sinto muitas vezes
Faz sentido e outras vezes
Não descubro um motivo
Que me explique porque é
Que não consigo ver sentido
No que sinto, que procuro
O que desejo e o que faz parte
Do meu mundo

O arco-íris tem sete cores
E fui juiz supremo
Vai, vem embora, volta
Todos têm, todos têm
Suas próprias razões

Qual foi a semente
Que você plantou?
Tudo acontece ao mesmo tempo
Nem eu mesmo sei direito
O que está acontecendo
E daí, de hoje em diante
Todo dia vai ser
O dia mais importante

Se você quiser alguém
Pra ser só seu
É só não se esquecer
Eu estarei aqui

Não digo nada
Espero o vendaval passar
Por enquanto eu não sei
O que você me falou
Me fez rir e pensar
Porque estou tão preocupado
Por estar
Tão preocupado assim

Mesmo se eu cantasse
Todas as canções
Todas as canções
Todas as canções
Todas as canções do mundo
Sou bicho do mato

Mas se você quiser alguém
Pra ser só seu
É só não se esquecer
Eu estarei aqui

Ou então não terás jamais
A chave do meu coração

sábado, 4 de junho de 2011

Xadrez

Ponha as tuas roupas no varal
E as deixe secar com teu cheiro de alecrim
Faça do meu medo poesia
Acabe com meu medo de mim.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Meninos bons

Estranha a sensação de estar perto e longe ao mesmo tempo
A sensação de estar na chuva e não se molhar
É ficar longe demais para um toque
Perto o bastante para roubar o ar

Mas de que lhe adiantam olhos desejosos
Se são os bolsos que lhe abrigam as mãos
De que lhe adianta tudo isso
Esse poema ensaiado
Seu sorriso de lado
Essa sua perfeição?

Você sabe que eu sei
É o inverno, o inferno do verão
Ao mundo você nega seu sim
Enquanto vive a vida dos meninos bons.