quinta-feira, 17 de março de 2011

Torpor

Me perco nos tantos céus que nas estrelas existem
e também no brilho com o qual elas persistem
só pra tornar o azul veludo mais especial

Que seja banal ou fraco o argumento
dessa viagem rumo à felicidade visual
mas isso tudo é tão bonito
que nem eu mesma me permito
sair a procura de algo mais arrebatador

Se dá pra se apaixonar usando os olhos
eu não quero mais nada, mais nada
nem amor e nem dor
só esse torpor que a noite me causa

Nenhum comentário: