segunda-feira, 14 de março de 2011

Outra auto-definição

Posso ser muitas coisas,
muitas pessoas,
ser um exemplo
e uma casa sem chão.

Posso ser uma decepção,
um simples não,
uma excessão à regra
ou um privilégio sem concessão.

Posso ser a chuva
ou posso ser o vento,
o egoísmo, o amor.

Tenho um pouco de tudo
e, às vezes,
nada por dentro.

Só de uma coisa tenho certeza
você decide se enxerga com beleza,
porque não sou de guardar rancor.

As palavras sobre as quais tenho domínio
já não me causam tanto fascínio
quanto aquelas que nunca possuí.

Enquanto isso, enquanto escrevo,
repenso nas muitas coisas as quais me atrevo
e às quais um dia irei dizer "nunca vivi".