domingo, 23 de janeiro de 2011

A vida que não é literatura

" Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida. A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas (como a dança e a arte de representar) entretêm. A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer dela um sono; as segundas, contudo, não se afastam da vida - umas porque usam de fórmulas visíveis e portanto vitais, outras porque vivem da mesma vida humana. Não é o caso da literatura. Essa simula a vida. [...] Um poema é a expressão de ideias ou de sentimentos em linguagem que ninguém emprega, pois que ninguém fala em verso. "
Fernando Pessoa


Seria bom ignorar a vida do jeito que fazem sempre os livros, ter o poder de ser com apenas caneta e papel. Seria quase como ser Deus, dono do destino, do acaso e das circuntâncias: equilibrar as inconstâncias, acordar de manhã e dizer "hoje serei assim porque eu quero"

Só me pergunto se estaria realmente acordado quem dissesse, iria parecer até que não conhece um milésimo do que é viver. Infeliz ou felizmente, a vida não se rende nem com guerras, não obedece a nenhum de nossos caprichos, pelo menos. Apenas viva a vida, entendê-la é coisa de poucos e eu estou entre os muitos que não sabem o que dizer.

Um comentário:

Kenia Cris disse...

Eu sempre procuro casas pra alugar dentro de poemas e estórias bonitas. Coisa de ser humano. =)

Beijos querida!