sábado, 18 de setembro de 2010

Revolta infundada

Guardo comigo um sentimento de revolta, o qual fora de mim não há razão de ser. É como encarar o espelho de peito aberto e querer quebrá-lo com todas as forças.

Deve ser algum tipo de revolta pessoal, auto-destrutiva, corrosiva mas que não mata.

Uma paixão mórbida pela auto-aversão.

2 comentários:

Cherry Bomb disse...

Oi linda!
Obrigada pelo comentário e pela opnião sobre o layout..
Adoro seus textos e me identifico muito com eles, parecem q são escritos pra mim.. hehe

Bjuxx

so sad disse...

melhora com tempo...
ou não! rs
beijo!