domingo, 1 de agosto de 2010

Quebra-cabeças

É engraçado - e até interessante - como cada pessoa extrai de nós uma essência diferente. Há os que nos fazem sorrir; estes também aconselham e, quando necessário, repreendem. Outros, despertam nosso lado mais racional, são aqueles ideais a todo tipo de conversa, defendem suas opiniões sem as nossas desconsiderar. Com alguns outros, ficamos no automático, sendo aqueles com os quais convivemos só por ter que conviver; fazem parte da paisagem, da ocasião, apenas. E outro grupo - se considerarmos nossas inimizades - torna-nos medíocres, obrigando-nos a degustar a tal da apatia.
E, assim - particularmente eu -, venho percebendo que a descoberta do "quem sou eu" não é somente minha ou, pelo menos, não se limita ao "ato ou efeito de existir" dos dicionários. Vejo as pessoas como quebra-cabeças - vejo-me, na verdade, e acho que isto também se aplica a elas - que necessitam de peças para alcançar um amplo entendimento, chegando a figura final.

2 comentários:

Cinthya disse...

Adorei, boa voce escrever as pessoas que fazem a gnt sorrir também criticam. Pq afinal, sempre num importa se a pessoa seja nosso amigo ou não ela é construtiva!
Adoro seus textos! :D

Ana Clara disse...

Muito obrigada Cinthya, são pessoas como você que me ajudam a continuar escrevendo :)