domingo, 6 de junho de 2010

Para além do véu

" Harry se virou para ver o que Neville olhava. Diretamente no alto, emoldurado pela porta da Sala do Cérebro, achava-se Alvo Dumbledore, a varinha no ar, seu rosto pálido e enfurecido. Harry sentiu uma espécie de choque elétrico em cada partícula do seu corpo - estavam salvos.
Dumbledore desceu depressa os degraus passando por Neville e Harry, (...) Um dos Comensais da Morte correu o mais que pôde, trepando como um macaco pelos degraus de pedra do lado oposto. Um feitiço de Dumbledore o trouxe de volta com a maior facilidade, como se o tivesse fisgado com uma linha invisível...
Somente um par continuava a lutar, aparentemente sem notar o recém-chegado. Harry viu Sirius se desviar de um raio vermelho de Belatriz: ria dela.
- Vamos, você sabe fazer melhor do que isso! - berrou ele, sua voz ecoando pela sala cavernosa.
O segundo jato de luz o atingiu bem no peito.
O riso ainda não desaparecera do seu rosto, mas seus olhos se arregalaram de choque.
Harry soltou Neville, embora nem tivesse consciência do que fazia. Estava novamente descendo os degraus aos saltos, puxando a varinha, ao mesmo tempo que Dumbledore também se voltara para o estrado.
(...)
Harry viu a expressão de medo e surpresa no rosto devastado e outrora bonito do seu padrinho quando ele atravessou o arco e desapareceu além do véu, que esvoaçou por um momento como se soprado por um vento forte, depois retomou a posição inicial.
Harry ouviu o grito triunfante de Belatriz Lestrange, mas sabia que não significava nada - Sirius simplesmente atravessara o arco, reapareceria do outro lado a qualquer segundo...
Mas Sirius não reapareceu.
- SIRIUS! - berrou Harry. - SIRIUS!
Ele alcançara o poço, sua respiração ofegante e dolorosa. Sirius devia estar logo além do véu, ele, Harry, o puxaria de volta...
Mas quando chegou ao poço e saltou para o estrado, Lupin o agarrou pelo peito, detendo-o.
- Não há nada que você possa fazer, Harry...
- Apanhá-lo, salvá-lo, ele só atravessou o véu!
- ... é tarde demais, Harry.
- Ainda podemos alcançá-lo... - Harry lutou com força e violência, mas Lupin não o largou.
- Não há nada que você possa fazer, Harry... nada... ele se foi. "

Harry Potter e a Ordem da Fênix, capítulo trinta e cinco, p. 652

2 comentários:

meus instantes e momentos disse...

vim conhecer teu blog..,
volto para ler com calma, gostei daqui.
Maurizio

Kenia Cris disse...

Olá mocinha! Tem um selinho pra você lá no blog. Não precisa trazer pra cá se não quiser, é só uma forma de dizer que adoro o que você escreve, que acho que você tem uma cabeça pra lá de boa e esse é sem dúvida um dos meus espaços favoritos na Internet. Cuide-se e sorria. Beijo!!!

http://poesiatorta.blogspot.com/2010/06/selos-awards.html