segunda-feira, 24 de maio de 2010

Versos brancos

Viverei assim de versos desencontrados, devendo um soneto. Não por minha vontade, não senhor! Meus textos, outrora poemas sem sentido, sem rima e sem cor são meus, só meus! O que tenho de criatividade, meu senhor, não limita-se a versos decassílabos. Não me preocupo com métrica e muito menos com sílabas tônicas em encaixe uniforme. Venho tentando, mas não me sinto a vontade. Vou atirando as palavras num engarrafamento com minha caneta preta, do jeito que for, borrando tudo o que é papel.

São as minhas palavras rebeldes.

2 comentários:

Kenia Cris disse...

Vou pedir licença pra usar isso numa postagem no meu blog. Será que você me empresta? Lindíssimo Ana. =)

Beijos!

Ana Clara disse...

ok , tudo bem :] deixa eu usar uma sua também ? aquele do 'eu não ando na moda' , POSSO POSSO ? *-*