sábado, 29 de maio de 2010

Existencial

Minha vida é tão chata quanto um carrossel que roda por horas.
Me dá vertigem e me faz devanear.
É desbotada, tão sem cor.
Descolorindo até o preto, até o branco
lentamente,
graciosamente.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Opiniões inválidas, volte mais tarde (ou nunca)

Só não quero eu fazer sentido.
Que minhas cores voem para o alto,
que pinte quem quiser!
Já não ligo, estou aberta a opiniões.
Que hajam cem, duzentas!
Juntarei trezentas e botarei pra queimar.

Sou toda ouvidos, apenas ouvidos.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Amor platônico

Tenho uma certa tendência para a 'platonicidade', digamos. Ódio desta condição, é o que possuo amando-a.
Em homenagem à Mrs. Lovett

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Versos brancos

Viverei assim de versos desencontrados, devendo um soneto. Não por minha vontade, não senhor! Meus textos, outrora poemas sem sentido, sem rima e sem cor são meus, só meus! O que tenho de criatividade, meu senhor, não limita-se a versos decassílabos. Não me preocupo com métrica e muito menos com sílabas tônicas em encaixe uniforme. Venho tentando, mas não me sinto a vontade. Vou atirando as palavras num engarrafamento com minha caneta preta, do jeito que for, borrando tudo o que é papel.

São as minhas palavras rebeldes.

domingo, 23 de maio de 2010

Menina-moça

Da menina que vi, recordo-me apenas do rosto, maquiado. Nem chegara aos seus 15 anos, e já tinha resquícios de moça. Olhei atenta e nostálgica, pois admito que um dia fui assim. De salto nos pés e tamanho de gente grande, batom nos lábios, lápis no contorno dos olhos e maçãs do rosto rosadas combinando com o batom da mãe. Mal sabe ela que está perdendo a melhor fase de sua vida. Entenderá este meu pobre texto, quando moça virar.

sábado, 22 de maio de 2010

A cinza entrada

Estava ali sentada a beira do nada, uma xícara de café na medida a me aquecer o corpo, o frio a me corroer os ossos. O vento roçava-me o rosto, todo carinhoso e dançava à minha volta com seus uivos e assovios, tropeçando pelas construções. Desarrumadas, as árvores reclamavam, todas tortas, perdendo folhas. O dia amanhecia carrancudo, tanto que nem deu espaço ao sol, ao arrebol. O cinza dominava completo e quando eu achava que rendera apenas o dia, ele me socou a face
e me acinzentou.

terça-feira, 18 de maio de 2010

For a optimistic I'm pretty pessimist

E eu que queria voar?
Voar por aí abusando da livre condição.
Contudo fui condenada a esta forma humana,
tão mundana, de pés presos ao chão.
Gravidade é nossa lei, a lei dos pessimistas.
Também é pessimista a que vos escreve,
pelo menos um pouco.
Passei a admirar o péssimo (...)
Se analisado minuciosamente,
você terá de concordar comigo:
que o péssimo é, ao certo, o real.

O mundo não anda essas coisas.

domingo, 16 de maio de 2010

Breve momento insano

O céu hoje apareceu rabiscado com um lápis branco fazendo contornos, danças, voltas e piruetas. De manhã eu vi a lua, as estrelas e o drácula voando sem rumo; por volta do meio-dia, flores da meia-noite desabrochando aos montes; agora, fim de tarde, o Sol embriagado parece ser o último a ir embora da festa.
E depois eu que sou louca.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Fim do dia

Deitou-se para descansar um pouco, depois daquele dia caótico, era o mínimo que merecia. O rádio ao lado, down em mim repetia várias e várias vezes. O volume no máximo, as paredes resmungavam,


" quem se importa? Eu ando tão down (...) "

Is Friday

I don't care if monday's blue
Tuesday's grey and wednesday too
Thursday, I don't care about you
It's friday I'm in love

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Na rua

Estive pensando em perguntar como é que você está? Mas antes, apenas por curiosidade (muita curiosidade), quem é você?
Tumblr_kvwmrwbsac1qzeaqho1_400_large
Quem é você pra me deixar assim, sem chão, tão fora da realidade? Você pôs seus olhos verdes em mim e foi embora. De cigarro na mão e de mochila nas costas, foi-se embora com o vento.

Só peço que não volte.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Démodé

E os dois, bem juntinhos assim, como linha e botão, conversaram horas a fio sobre o que é o amanhecer:

- É quando a luz, suave, toca a superfície de todas a coisas que antes estavam adormecidas, despertando-as para um novo dia - disse ele.

- É quando nos libertamos da escuridão aveludada da noite e reencontramos o Sol que delicadamente toca nossas faces com um beijo dócil - completou a moça.

(...)

Mal sabiam que falavam de amor.

sábado, 8 de maio de 2010

Melancolia barata

"
Que tal um safari pela minha mente? Suba cavalheiro, sente-se. Vamos, não se acanhe, só mais um degrau. Mil perdões se caso eu te assustar.
Essa é mais uma de outras tantas circunstâncias onde se chega a conclusão de uma crise existencial. Como de costume, tudo foi posto naquele meu caderno - todo velho e rabiscado. É como terapia, sabe?
Os meus sonhos sobrevoam livres o meu céu de azul sereno, enquanto os seus amigos - meus pesadelos - se amontoam no meu infinito oceano de medos (do qual ainda não defini a cor).
Confesso que me faltam motivos para ir aos lugares, ainda assim, meus pés atraem-me até eles e no meu bolso, sempre está o meu pacote de compostura. Escondidos em mim - quase ocultos, estão os pedaços, os meus cacos, apenas os que sobraram do meu espelho de cem faces
"
by me

OMG !

O vídeo faz tipo um mix - louco - de algumas histórias como chapeuzinho-vermelho, joão e maria, alice, rapunzel...
e eu nem gosto *-*


segunda-feira, 3 de maio de 2010

Cirque (non-Soleil)

O equilibrista - desequilibrado - espatifou-se no chão certo dia; o leão, feroz e entediado, atacou a platéia pra agitar um pouco as coisas que por lá estavam mais paradas que um candelabro; o palhaço, sempre no canto da arquibancada, assustava as criancinhas que por perto brincavam; o pipoqueiro? Nem pôde mais nomear-se com tal profissão, até o milho não estourado já havia desaparecido (foram as pombas do velho mágico); o picadeiro... bom, o 'engole-chamas' em seu número - totalmente desastroso - ateou fogo nele; o coelhinho não saía mais da cartola do mágico - demitiu-se - e este último, por sua vez, nunca mais atreveu-se a tirar lenços de suas mangas. E eu ainda pago para ver o show.

Confesso

The Favorite Poet
Sir Lawrence Alma-Tadema

Queria ser uma poeta (ou poetisa, que seja). Termos válidos atribuídos a quem possui as palavras a seu dispor. No entanto, eu... eu apenas me atrevo a juntá-las (as palavras) para expressar algo que me palpita a caixa da felicidade e do desespero - o que você conhece por coração - mas no fim de cada frase ou verso, leio, releio e torno a ler mais duas vezes... e penso cá com os meus botões:

que se dane, você não nasceu para isso!

sábado, 1 de maio de 2010

Ao outono

A alegria que habitava naquele bosque foi corrompida pela tristeza que ali chegou. As flores da época já não tinham tanta vida, em verdade, definhavam aos poucos. E as árvores centenárias que continuavam de pé - uma aqui outra ali -, tinham suas raízes expostas e suas folhas jazendo junto ao chão. Diante do outono, o verão caiu de joelhos, rendeu-se; entregou-se, de fato.

Um pouco de música, por favor

Boa música é sempre bem-vinda, não? Aí vão alguns clips do Nirvana que eu gosto :
I

O clip é insano, literalmente. Foi a primeira música deles que eu ouvi (viva o Guitar Hero :B)

II

Eles adoravam uma bagunça ! E os vestidinhos ? rs

III

I wish I was like you, easily amused (...)

IV

Clássico :D

V

Unplugged MTV. O cenário, essas velas e flores espalhadas pelo palco, a iluminação. Meio mórbido? Que seja *-*

VI

É o meu clip preferido, só que eu nunca soube descrevê-lo. O lance das luzes e tal, gosto dessas coisas :D